Linha Imaginária:
Ligação Entre o Artista Contemporâneo e o Público

O Projeto de Intercâmbio Cultural Linha Imaginária monta mais exposição em Belo Horizonte. O Museu Mineiro exibiu, durante os meses de outubro e novembro, a segunda parte da mostra "A Casa de Todos", a primeira fora exibida, no Sesiminas, em maio. "Cada mostra é única. Não existe uma itinerância com o mesmo projeto, com a mesma mostra. A que está no Museu Mineiro é uma, a que está em Belém é outra, a que está terminando em Niterói também é outra. Não existe uma itinerância de uma mostra por diversos estados. São várias exposições acontecendo ao mesmo tempo e com vários artistas", explica Mônica Rubinho, da coordenação do Projeto de Intercâmbio Cultural Linha Imaginária. "O nome ‘A Casa de Todos’ vem da reunião, porque foi o maior núcleo para um pensamento de mostra que já aconteceu, 16 artistas na primeira parte, mais 13 agora. É uma grande reunião. Os títulos, os nomes, têm uma tendência poética e não uma trazem uma noção narrativa sobre a mostra". São trabalhos – "feitos com técnicas diversas que se adaptam à maneira de traduzir a vida de cada artista, predominando o desenho, com formas não tradicionais" – dos artistas Albano Afonso, Ana Kesselring, Efraim Almeida, Fábio Carvalho, Fernando Cardoso, João Carlos de Souza, José de Quadros, Marcelo Salum, Marcus Vinícius, Maria Helena Bernardes, Mariano Klautau, Marta Neves e Rosana Monnerat.


próxima página página principal